segunda-feira, 2 de novembro de 2015

Soneto "Braços e Aletas", por Cairo Pereira

III

Verdadeiro Voo

Mas quanta loucura que existe no ser
que insiste em dizer as loucuras pagãs!
- Eu voo as manhãs com excelso poder
e o mundo hostil vê... - Tais idéias são vãs!

Não sei... - por ventura ou nefasto pensar
que dizes flanar como o mais ledo pássaro...
Teu senso no báratro atroz - negro mar
- já deve pousar, pois não passas de Lázaro.

Porque o poetoide tem mil pensamentos
e voa nos Tempos com tua invenção.
Os sisos são naves que cortam os ventos,

mas vives momentos de pura ficção.
O pássaro voa por si, jubiloso
sem nunca investir contra o bardo tinhoso.

Cairo Pereira
26/01/2009 12h30



---
É paulistano e vive em Poá (SP). Possui 9 livros inéditos de poesia e 2 romances eróticos. Teve poemas publicados em Antologia Poética e no Boletim Salesiano de 2005. Além disso, em 2003, ficou em terceiro lugar em um concurso de poesia de Ferraz de Vasconcelos (SP). Participou da oficina de Fotografia realizada pelo Instituto de Formação Augusto Boal (IFAB), tendo o apoio da Associação Cultural Opereta, sob a orientação de William Ferro Atualmente está cursando Fotografia na Universidade Paulista (UNIP). E desenvolve o blog Com Sabor de Trufas. Facebook: Cairo Pereira.


---
Balcão da Arte 
E-mail: balcaoarte@gmail.com / Facebook: Balcão da Arte / Comunidade no Facebook:  Balcão da Arte / Google Plus: Balcão da Arte / Comunidade no Google Plus: Balcão da Arte / Twitter: @balcaodarte / Instangram: balcaodarte

Nenhum comentário:

Postar um comentário