sexta-feira, 10 de julho de 2015

Soneto "Braços e Aletas", por Cairo Pereira


II

Eu tenho uma casa que é mui confortável:
tem cômodos grandes, lareira e sofá;
na alcova tem tálamo quente, palpável
que eu deito, cansado de tanto sonhar.

Mas, quando eu me deito infeliz, tão instável,
o rosto molhado de tanto chorar...
Sem bem - poderia - viver ser afável
cantando singelo em padrão-sabiá.

E eu piro, dou giro, desviro na noite!...
Um pranto... um delírio... não há quem acoite
um ser sem escrúpulo deste planeta.

Pois bem passarinhos que não têm mais casas
invejo-vos muito, pois vós tendes asas
e eu tenho de tudo, mas menos aleta.

Cairo Pereira
07/01/09 12h15


---
É paulistano e vive em Poá (SP). Possui 9 livros inéditos de poesia e 2 romances eróticos. Teve poemas publicados em Antologia Poética e no Boletim Salesiano de 2005. Além disso, em 2003, ficou em terceiro lugar em um concurso de poesia de Ferraz de Vasconcelos (SP). Participou da oficina de Fotografia realizada pelo Instituto de Formação Augusto Boal (IFAB), tendo o apoio da Associação Cultural Opereta, sob a orientação de William Ferro Atualmente está cursando Fotografia na Universidade Paulista (UNIP). E desenvolve o blog Com Sabor de Trufas. Facebook: Cairo Pereira.
 

---
Balcão da Arte 
E-mail: balcaoarte@gmail.com / Facebook: Balcão da Arte / Comunidade no Facebook:  Balcão da Arte / Google Plus: Balcão da Arte / Comunidade no Google Plus: Balcão da Arte / Twitter: @balcaodarte / Instangram: balcaodarte

Nenhum comentário:

Postar um comentário