terça-feira, 4 de dezembro de 2012

Eu fingi que fiquei doente, por Adrielly Vitoria Dos Santos

Num belo dia, acordei de manhã e lembrei que tinha prova de Matemática. Como não havia estudado, resolvi fingir para minha mom que estava doente. 

Como geralmente minha mom me chamava de manhã para ir à escola, nesse dia disse para ela que não me sentia bem e que a minha garganta estava arranhando, além disso, sentia dor no corpo. 

Minha mom acreditou no que eu disse. Então, decidiu deixar-me em casa com a minha aunt, que naquele dia estava de folga, e depois ir trabalhar. 

Minha mom ficou comigo até a hora que minha aunt chegou. Então, minha aunt chegou em casa com meu primo Mateus. Eu fiquei deitada na cama conversando com ele. Passei o resto do dia na cama. 

No dia seguinte acordei, sentia dor no corpo e dor na garganta de verdade, isto é fiquei doente, mas nesse dia não queria faltar, porque teríamos brincadeiras por ser dia das crianças. Minha mom não deixou que eu fosse à escola e ficou comigo em casa. 

Mas enfim, no outro dia, eu fiquei melhor e fui para a escola. 


Moral da História: Nunca fale algo sem realmente querer, pois assim, isso poderá de fato acontecer.




Adrielly Vitoria Dos Santos, 8 anos.
CEP José Antônio Bortolozzo



--
História realizada durante a aula de Inglês com o intuito de cultivar e conhecer a cultura local, sob orientação da Professora Joyce C. L. Gomes.



Joyce Cristina Leme Gomes
Professora da Rede de Ensino de Poá, Graduada em Letras (UBC), Graduando em Comunicação Social com habilitação em Publicidade e Propaganda (UMC). É voluntária como Secretária na Diretoria Executiva, bem como na Comunicação da Organização Não Governamental (ONG) Associação Cultural Opereta. Atualmente desenvolve o blog da Associação Cultural Opereta, Joyce Gomes: Professora e Publicitária e Cantinho das Letras.


---
Balcão da Arte 
Contato: balcaoarte@gmail.com 
Facebook: Balcão da Arte
Google Plus: Balcão da Arte

Nenhum comentário:

Postar um comentário